Fechar [X]

Curso de Doutrina e Teologia de Umbanda


Programa do Curso:


  1. 1. Apresentação - Teologia De Umbanda (Uma Religião com seus próprios fundamentos)
  2. 2.  Diferenças Umbanda e Candomblé (Cultura Nagô – Yorubá / Culto de Orixá)
  3. 3.  Diferenças entre Umbanda e Espiritismo (A Doutrina codificada por Allan Kardec)
  4. 4.  Sacerdote, Feiticeiro, Mago, Xaman, Pajé, Erva de Poder, Animal de Poder, Catimbó, Jurema, etc.
  5. 5.  Uma Religião Brasileira, mediúnica, definições, sincretismo, etc.
  6. 6.  O que é Religião? Definição, Religare, Religiões Monoteistas, Umbanda é Monoteísta.
  7. 7.  Paganismo, Panteísmo, Animismo, Politeísmo, Totemismo, Fetichismo, Monismo, Ateísmo, Monopoliteismo e Panenteismo.
  8. 8.  História da Umbanda, breve e resumida.
  9. 9.  O que é Mediunidade? Todos são médiuns? Tipos de mediunidade.
  10. 10.  Incorporação. Consciente ou inconsciente? Desenvolvimento Mediúnico: Medos e traumas do desenvolvimento. Quebrando tabus e preconceitos. A Importância Da Educação Mediúnica
  11. 11.  Bíblia e Mediunidade
  12. 12.  Meditação e Deus
  13. 13.  Deus Pai e Mãe – Tronos e 7 Linhas
  14. 14.  Deus, Simbolismo e Chacras, Números e Geometria
  15. 15.  Androgenesia – A Gênese do Ser e os Sete Planos da Vida
  16. 16.  Ondas, Fatores e Energia – A Base da Criação
  17. 17.  Orixá de Frente, Orixá Adjunto e Orixá Ancestral
  18. 18.  Firmeza e Assentamento
  19. 19.  Elementos de Liturgia I (Bater Cabeça, Cruzar, Consagração, Imantação, Cruzamento de objetos e do templo, Os Espaços Religiosos, Altares e Imagens), Roupa Branca?
  20. 20.  Elementos de Liturgia II (Defumação, Banhos e Amaci; Roupa Branca, Cores, Pedras, Ervas, Águas)
  21. 21.  Oferendas (Os Orixás e A Natureza, Os Pontos De Força Da Natureza, Por que fazer Oferendas?  O Sentido Das Oferendas, As Consagrações de Materiais Condensadores de Axé)
  22. 22.  7 Linhas – 14 Orixás mais 3 Orixás (Exu, Pomba Gira e Exu Mirim) / Orixás Cósmicos e Universais
  23. 23.  Oxalá, Orixalá, Obatalá – Jesus Cristo (Os Mecanismos da Fé)
  24. 24.  Oiá-Tempo, Logunan – Santa Clara (O Trono do Tempo) 
  25. 25.  Oxum – Nsa. Sra. Da Conceição e Nsa. Sra. Aparecida / Oxumaré – São Bartolomeu
  26. 26.  Oxóssi - São Sebastião / Oba – Joana D’ Arc
  27. 27.  Xangô  - São João Batista / Yansã – Santa Bárbara / Ogum – São Jorge / Egunitá – Santa Sara Kali
  28. 28.  Obaluaiyê – São Lázaro / Nana Buroquê – Santa Ana 
  29. 29.  Yemanjá – Nsa. Sra. Dos Navegantes e Nsa. Sra. Das Graças / Omulu  - São Roque
  30. 30.  Orixá Exu (Origem Cultural do Orixá Exu, Exu na Cultura Nagô-Yorubá na África - Mitologia)
  31. 31.  Orixá Exu (Origem Divina - Trono da Vitalidade – Mehor-yê, outros Tronos)
  32. 32.  Orixá Exu (Vazio o Principio da Criação - Os 7 Guardiões Planetários)
  33. 33.  Orixá Pomba Gira e Orixá Exu Mirim (Trono do Estimulo, Êxtase e o Nada na Cosmologia)
  34. 34.  Demonizar Exu, de dentro e de fora de seu culto – Quem é Lúcifer, Satã, Diabo, Capeta, Demônio? Tronos Opostos.
  35. 35.  Guia Chefe, Guia de Frente, Mentor, Naturais, Encantados e outros. Os Guias de Lei na Umbanda. As Entidades Que Atuam Nas Linhas De Umbanda. Como Surgiram As Linhas De Trabalho Do Ritual De Umbanda Sagrada
  36. 36.  Caboclo, Preto Velho e Criança
  37. 37.  Baiano, Boiadeiro, Marinheiro, Ciganos, Cangaceiros, Malandros e Mestres da Jurema
  38. 38.  Exus de Trabalho, Guardião e Natural
  39. 39.  Pomba Giras e Exus Mirins. Formas Plasmadas: Formas humanas, angélicas e animalizadas
  40. 40.  Uma Gira ou Sessão (Trabalhos) de Umbanda. O Passe na Umbanda. 40ª Batizado
  41. 41.  Casamento
  42. 42.  Ato Fúnebre
  43. 43.  O que é Magia? Tipos de Magia. Magia de Umbanda. Ponto Riscado e
  44. 44.  Como Funciona a Magia, Magia Divina e seus Mistérios
  45. 45.  Elementos de Magia: Pemba, Ponteiro, Punhal, Espada, Pólvora, Fitas, Toalha, Pedras, Ervas, Águas, etc.
  46. 46.  O que é Sacerdócio? Quem é o Sacerdote de Umbanda? Sacerdócio Vertical e Horizontal
  47. 47.  Literatura de Umbanda
  48. 48.  Considerações Finais.


Fechar [X]

Magia Divina das Sete Chamas Sagradas


Quando comecei na Umbanda, uma das maiores dificuldades era cortar demandas. Como me limpar nos dias em que não havia trabalhos de incorporação? Conheci, nesta caminhada, muitos médiuns que, apesar de fazerem o bem, vivem carregados. Durante muito tempo, sofri o choque de trabalhos feitos contra mim e contra o trabalho espiritual.


Em 1995, ao conhecer o irmão, mestre e sacerdote, Rubens Saraceni, pude observar com ele que este era um problema para a maioria dos umbandistas. Pude também comprovar que o Rubens já vinha praticando, há tempos, ensinamentos de seus guias de como cortar magias negativas, trabalhos feitos, energias ruins e até pensamentos agressivos por meio do que chamamos, na Umbanda, de Pontos Riscados.


No entanto, ele usava técnicas que vinha aperfeiçoando junto de seus guias (Mestres do Astral), nas quais surgiam formas gráficas que, com o tempo, fomos chamando de Mandalas, Cabalas e Pontos Riscados.


De uma forma muito simples e natural, dentro destes espaços mágicos feitos com pemba, vimos centenas e centenas de irmãos receberem ajuda de uma forma surpreendente. Eram as primeiras turmas de teologia, em que muitos alunos eram chefes de terreiro e médiuns já cansados de tantas demandas, trabalhos e energias negativas. Muitos faziam semanalmente oferendas, pois este era o único método que conheciam para neutralizar certas energias negativas e investidas do astral inferior.


Ficava eu encantado com a simplicidade e funcionalidade desta forma de trabalho, que com o tempo se revelou ser Magia do Fogo, ou Magia Divina das Sete chamas Sagradas.


Foi uma grande oportunidade poder aprender esta Magia em 1999, quando o Rubens recebeu autorização para ensinar. Pudemos aprender sobre os símbolos, signos, ondas, cores e elementos necessários para construir um espaço mágico na força das divindades - Os tronos de Deus, nossos Orixás.


Os trabalhos de Umbanda se tornaram mais leves, nossos guias puderam dedicar mais tempo ao nosso autoconhecimento e perder menos tempo com trabalhos negativos, cortes de demanda e descarrego. Agora cada um de nós aprendia ferramentas para nos ajudar, ajudar ao próximo e ajudar a nossos guias à frente dos trabalhos espirituais.


Alguns anos depois, me veio a mais grata das surpresas: recebi junto de milhares de outros irmãos a permissão para ensinar Magia do Fogo.


O praticante de Magia Divina pode ser adepto de qualquer religião, mas não será um dependente religioso, nem fanático, ou pedinte da espiritualidade. O praticante de magia é alguém que sabe se colocar diante das situações espirituais adversas com maestria, trabalhando e resolvendo o que se relaciona com energias, pensamentos e emoções. Este praticante sabe como neutralizar influências externas e como trabalhar suas questões internas.


Em MAGIA DO FOGO, aprende-se de forma simples e prática uma CIÊNCIA DIVINA, na qual
se estudam símbolos, signos e cores de velas correspondentes aos Tronos de Deus/Divindades/Orixás, perante os quais este mesmo estudante será iniciado. Desde as primeiras aulas teóricas, o estudante leva para casa exercícios práticos para sentir a eficácia e funcionalidade da Magia do Fogo, ao mesmo tempo em que vai estabelecendo uma relação com os Tronos de Deus de forma direta por meio do elemento FOGO.


Após as aulas teóricas, nas quais se estudam sobre 16 Tronos de Deus, relacionados aos sete sentidos (Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração), mais os Tronos da Vitalidade e do Estímulo, começam as aulas práticas. Com o conhecimento de sua simbologia e por meio da iniciação, o novo praticante passa a ter outorga, autorização, de manipular este elemento, o FOGO, com o amparo de seu Mestre de Magia Espiritual.


Este é um caminho de iniciação, estudo e autoconhecimento seguro e tranquilo, que pode ser praticado por qualquer pessoa, independente de seu credo, idade ou sexo. Não é necessário ser médium de incorporação e muito menos possuir dons especiais. Apenas crer em Deus e querer ajudar a si mesmo e ao próximo.


A base deste curso são os livros de Rubens Saraceni:
· A Magia Divina das Velas
· Iniciação à Escrita Mágica
Ambos da Editora Madras - www.madras.com.br.

 

Texto de Alexandre Cumino.


Artigo 23: UMBANDA NÃO É MACUMBA

Depois do lançamento do livro “Umbanda não é Macumba”, muitas pessoas me perguntam: “Então eu não posso dizer mais que sou macumbeiro?”. E, em contra partida, outros me dizem: “Isso mesmo, muito bom, nós não somos macumbeiros, nós somos umbandistas”. continue lendo

Quer fazer um curso virtual?
Confira nossa parceria com o site:
www.umbandaead.com.br




Esqueceu sua senha?
Cadastre seu email abaixo e receba nossas newsletters.

Nome:

Email: 

                        

ONDE ESTAMOS
Av. Dr. Gentil de Moura, 380
Ipiranga, São Paulo - SP
Próximo ao Metrô Alto do Ipiranga
Colégio Pena Branca
Copyright 2012 - Todos Direitos Reservados
by Sitesa